Google+ Followers

segunda-feira, 27 de maio de 2013

palabreiras



por Luiz da Nóbrega em Quin ta, 21 de março de 2013 
com palavras aconchegadas no teu abrigo

mesmo se das minhas vontades resultam nadas

quero viver esta vontade de estar contigo

mesmo se repito palavras cansadas

quando as penso em ti tem um novo alento

e os poemas alevantam-se com asas

vão no teu vento

sem saberes que se alimentam da tua voz,

não digas mais palavras estéreis

todas juntas, como se fosse uma maldição que te persegue

as palavras amam-te

se as amares

não as procures

elas irão te encontrar no âmago dos teus desejos

e te mostrar que é verdade

que são beijos

são abraços

e que todas palavras a monte

são labirintos que rodopiam

na roda dos dias, na solidão das noites

dá-lhes espaços, dá-te espaço

não queiras fazer tudo de repente

mesmo as palavras exigem serem sentidas

uma de cada vez

tal como a gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário